Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




I'm Lost In...

por Heart of dixie, em 11.05.14

I’m lost in India. I wish.. Mas um dia, fica aqui registada a promessa, estarei a contemplar a magnífica arquitectura do Taj Mahal, situado na cidade de Angra, na Índia. É considerado um dos monumentos mais emblemáticos do mundo e um dos locais turísticos a visitar brevemente, assim eu espero. 

No entanto, quem se encontra no centro de Lisboa pode facilmente "viajar" até o Lost In, uma esplanada-bar-miradouro e restaurante com características indianas, localizado na rua D. Pedro  V, no número 56 (Príncipe Real).

A chegada do bom tempo convida os fregueses e os turistas a frequentar diversas esplanadas, com diferentes conceitos e panoramas sobre a cidade, nomeadamente o Lost In. Hoje fui, pela segunda vez, com um grupo de amigos ao “café indiano”, como gosto de o chamar. O vento incomodou-nos um pouco, mas aquecidos por mantas fornecidas pelos funcionários, esquecemo-nos desse pequeno pormenor.

“Perdidos” nos sentidos, como indica o nome do café, ficámos deslumbrados com a decoração, os coloridos chapéus de sol em pano, as paredes, as cadeiras, os sofás e as mesas em tons vibrantes, como o rosa, azul, roxo e verde. O espaço remete o olhar do visitante para um ambiente desconhecido, mas surpreendemente agradável, exótico e descontraído.

Ao som de uma melodia hindi, os visitantes podem ainda disfrutar de cocktails, chás e degustar refeições ou petiscos mediterrânicos ou iguarias de essência indiana, como o famoso caril de gambas. E às quintas-feiras, das 21:50 até às 23h, o Lost In convida-o para um concerto de Jazz.

 

Aspectos positivos: decoração, serviço, ambiente

Aspectos negativos: os preços (mas vale muito a pena visitar esta esplanada) 

 

Como chegar: Autocarro 758, eléctrico, metro baixa-chiado

 

Namasté!

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

#1 geocache

por Heart of dixie, em 05.05.14

A estreia no mundo do Geocaching realizou-se espontaneamente. Um grupo de amigos decidiu, sem planear, procurar as famosas geocaches (ou simplesmente caches). Já não era sem tempo! Para quem não conhece esta actividade, o Geocaching consiste numa “caça ao tesouro” ao ar livre, neste caso, uma caça às caches que estão “bem” escondidas por todo o mundo. Há diferentes tipos e tamanhos de cache. A cache típica é uma pequena caixa, fechada e à prova de água que contém o logbook, ou seja, um papel, no qual a pessoa assina o seu nome e a respectiva data em que a encontrou. No exterior do container da cache está indicado que o objecto pertence ao Geocaching. Uma das principais regras é a seguinte: após encontrar uma cache, é necessário colocá-la novamente no mesmo sítio.

 

 

 

 O explorador consegue descobrir através das coordenadas de latitude e de longitude fornecidas pelo GPS do smartphone e das dicas da página.

 

O sentimento de alegria junta-se à euforia quando conseguimos encontrar a primeira. Logo, quis aventurar-me e procurar mais e mais caches. E, assim foi. Depois da primeira, verificámos que existiam mais duas nas imediações. As dicas e os comentários dos utilizadores contribuiram para localizá-las mais facilmente. Contudo, a última (3ª), foi a mais difícil. O título “P.S: Só faz quem quer” está apropriado para o desafio. A dica não era das melhores e foi graças, novamente, aos comentários de outros participante que, depois de uma hora, para cima e para baixo, finalmente conseguimos avistá-la. O Geocaching é um excelente jogo que permite conhecer novos locais da nossa cidade ou de outros países.

 Para obter mais informações ou para se inscreverem deixo aqui o site oficial: http://www.geocaching.com/

 

Boas aventuras e boas descobertas!

Autoria e outros dados (tags, etc)


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Posts mais comentados


Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D